terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Crítica de filme: Space Chimps (Space Chimps - Micos no Espaço)



Assisti Valiant, o desenho animado sobre o pombo que se alista na força aérea britânica para lutar na 2ª Guerra Mundial contra os nazistas. O desenho, produzido pela Vanguard Animation, era muito bacana. Isso me deu esperanças quando soube de Space Chimps, da mesma produtora.


E posso dizer que a Vanguard até que consegue extrair uma limonada dos limões que tem. Partindo do fato que macacos foram usados como cobaias no programa espacial americano, a produtora extrapola e manda uma tripulação desses bichos para um planeta distante. Lá, eles têm que enfrentar um E.T. ditador, que usa uma sonda espacial americana que apareceu por aquelas bandas para dominar o planeta.


Não é lá uma limonada suíça, encorpada. Está mais para aquelas limonadas que o Bolinha vendia em frente de casa, nas revistinhas em quadrinhos, ou seja, bem aguadas. O filme diverte mas de forma bem rala e simples, sem pretender ser muito mais do que um desenho animado do tipo "Sessão da Tarde". Algumas piadas inteligentes para adultos aqui e ali e várias piadas rasteiras para as crianças (que, infelizmente, são sempre subestimadas nesses desenhos). A computação gráfica também não compromete mas também não inspira...


Vale o aluguel do DVD ao menos (se você tiver criança em casa, claro).


Nota: 5 de 10

2 comentários:

  1. Valiant foi um filme engraçado pela mensagem e pelo tema sempre bem vindo.
    Agora este macacos do espaço, cuidado! Talvez dos piores que já vi, uma verdadeira tristeza, realmente muito pouco sumo... Froza

    ResponderExcluir
  2. Wow, this post is fastidious, my younger sister is
    analyzing these things, thus I am going to inform her.



    Also visit my web site; payday loans

    ResponderExcluir

Pensem antes de escrever para escreverem algo com um mínimo de inteligência. Quando vocês escrevem idiotices, eu apenas me divirto e lembro de Mark Twain, que sabiamente disse "Devemos ser gratos aos idiotas. Sem eles, o resto de nós não seria bem sucedido."