terça-feira, 31 de agosto de 2010

Crítica de TV: Todd McFarlane's Spawn: The Animated Collection

A maior criação de Todd McFarlane, famoso desenhista e escritor de quadrinhos e dono de um traço marcante, talvez seja Spawn. O personagem é um ser demoníaco, trazido da morte pelo demônio Malebolgia para servir como seu peão. Ele se chamava Al Simmons em outra vida e era agente da CIA mas foi traído e queimado vivo. 



Nunca li os quadrinhos de verdade, só umas estórias aqui e ali mas sempre achei o personagem bem bacana, ao menos visualmente. Assim, interessei-me na série animada de 1997 pela HBO, produtora que, geralmente, é responsável por boas séries de TV. Foram três temporadas até a série de Spawn ser cancelada sem uma resolução satisfatória.

Na verdade, posso dizer, de cadeira, que, apesar do belo traço do desenho, foi uma tortura aguentar os 18 episódios de 30 minutos cada um. Quando conseguimos ver Spawn, não conseguimos discernir direito o que ele está fazendo. Quando entendemos o que ele está fazendo, ou não é importante ou não é empolgante o suficiente.

Os episódios se arrastam como se estivessem em um limbo lodoso e modorrento. Passei dos dois primeiros episódios até com alguma empolgação, vendo Spawn se bater com seu inimigo número um, um palhaço maníaco também criado por Malebolgia, chamado Violator. Mas essa pancadaria, que só dura alguns segundos, logo começa a se repetir, e a se repetir, e a se repetir, com o agravante de Spawn ser um reclamão de marca maior, que passa o tempo todo em um beco gemendo no lugar de tomar uma atitude para resolver sua vida (ou morte, sei lá).

O personagem tinha potencial e a estória também. No entanto, uma execução completamente desleixada e preguiçosa conseguiu certamente criar a pior série de TV da HBO de longe além de ser um grande desserviço à cria máxima de McFarlane. Para se ter uma idéia, o fraco filme também de 1997, que adaptou o personagem para a telona é muito melhor que sua contra-partida animada.

Nota: 0 de 10

6 comentários:

  1. Discordo de você. A Série recebeu ótimas criticas. Reveja quem sabe não mude de ídéia. Para mim foi uma das melhores séries de personagens de HQ> Mas respeito sua opinião.

    ResponderExcluir
  2. Tô contigo Edvander. A série reconta os HQ de maneira muito mais elaborada. A localidade menor,a margem, o Beco da Morte, onde mora o danado Spawn em companhia dos mendigos, vai se relacionando cada vez mais com as esferas maiores das tramas políticas envolvendo a presidência do EUA, em que Al de alguma maneira estava metido em sua vida de soldado. Talvez o "metido a crítico" seja um daqueles cujos olhos foram viciados pela "ação", e não tenha paciência para acompanhar tramas muito densas cujo ritmo exige certa lentidão. Imagine esse cara assistindo Godard! hahaha

    ResponderExcluir
  3. Edvander e Allison:

    Vejam que interessante o contraste entre os comentários de vocês. O primeiro soube argumentar sem me atacar pessoalmente. A segunda argumentou, mas fez questão de me atacar.

    Allison, existem opiniões sobre tudo, para todos os lados. Eu dei a minha sobre Spawn e a mantenho. E de "densa" a história não tem absolutamente nada. Ela só aparenta ser densa. Ao contrário até: é vazia e repetitiva. Mas, claro, essa é só minha opinião.

    Abraços,
    Ritter.

    ResponderExcluir
  4. Obrigado pelo apoio Allison e concordo quando disse que o fato da trama ser complexa pode ser o motivo de você não ter gostado. Ritt ler esse seriado foi colocado em 5º lugar dos melhores seriados baseados em HQs e se você ler os HQs do spawn como eu li muito vai ver que é fiel. Gosto do filme mas ele nem se compara. Mas também tem filmes ou etc que receberam ótimas criticas que não me agradaram muito como por exemplo A Hora do Lobisomem (Bala de prata) de Stephen king que alias sou muito fã. Abraços e continue assim porque a diversidade de opinião me fascina no ser humano. Visite meu blog se puder http://edv223edvandersantos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Edvander, como disse na crítica, já li Spawn, mas muito pouco. Não teria estofo para fazer uma comparação justa entre o material base e a série de TV. De toda forma, tive muita dificuldade para chegar ao final da série, pois os assunto iam se repetindo, o Spawn toda hora muito ranzinza e reclamando o tempo todo.

      Sobre A Hora do Lobisomem, essa você tirou do fundo do baú e agora fiquei saudosista! Adorei esse filme na época em que passou no cinema. Mas nunca mais o vi. Com seu comentário, serei obrigado a procurá-lo.

      Grande abraço e visitarei seu blog sim. Pode me esperar por lá. Se tiver tempo também, visite o site que co-edito agora: planocritico.com. Acho que tem muita coisa lá que você pode achar interessante.

      Abraço, Ritter.

      Excluir
  5. Muito obrigado. E quanto a hora do lobisomem não que eu odeie, mas não é meu filme de lobisomem de cabeceira tipo Grito de Horror e um Lobisomem americano em londres são bem melhores no meu conceito, talvez por eu gostar de climas sombrios como Spawn. E o ser humano tem diversas reações as coisas. Motoqueiro fantasma Espirito de vingança muita gente não gostou mas eu gostei.

    ResponderExcluir

Pensem antes de escrever para escreverem algo com um mínimo de inteligência. Quando vocês escrevem idiotices, eu apenas me divirto e lembro de Mark Twain, que sabiamente disse "Devemos ser gratos aos idiotas. Sem eles, o resto de nós não seria bem sucedido."